Menu

Com 12 anos de carreira solo, a cantora Paula Lima sempre flertou com o samba e emprestou sua voz A diversas canções do gênero. O amor foi aumentando e ela quis fazer um álbum dedicado exclusivamente ao samba.

Desde criança Paula ouvia os sambistas clássicos e depois os sambistas de sua geração. Para fazer o disco, passou 4 meses no Rio de Janeiro visitando os compositores, mergulhando na história, escolhendo o repertório. Não foi fácil, depois de ouvir inúmeras canções, chegar nas 12 faixas que compõe o "O Samba é do Bem". 

As escolhidas trazem as assinaturas de Arlindo Cruz ("Beija-Flor" e "Pro Nosso Mundo se Alegrar"), André Renato ("Quem Ama não Pisa", "Trilha Sem Fim", "Quero o que é Meu" e "Me Prende a Você"), Xande de Pilares ("Trilha sem Fim" e "Meu Coração Taí"), Serginho Meriti e Rodrigo Leite ("O Samba é do Bem" e "Clareou"), Ronaldo Barcellos ("Quem Ama não Pisa" e "Quero o que é Meu"), Mário Sérgio, Serginho SP e Paquera ("Aliança das Marés"), Pretinho da Serrinha ("Love Affair" e "Meu Coração Taí"), Claudemir ("Um Grande Amor"), Gilson Bernini ("Trilha sem Fim"), Sereno ("Quero o que é Meu"), Fred Camacho ("Pro Nosso Mundo se Alegrar"), Maurição ("Beija-Flor") e  Gabriel Moura ("Love Affair").

Produzido por Leandro Sapucahy, o álbum traz arranjos de Jota Moraes, Wilson Prateado e Valério Brair, que também gravaram de forma magistral: Jota Moraes (piano e rhodes), Prateado (baixo) e Valério Brair (rhodes e teclado). O álbum também traz grandes e lendários músicos: Mauro Diniz, Gordinho, Marcos Arcanjo, Nenê Brown, Bóris e Camilo Mariano, Luciano Broa, Layse Sapucahy, Raul Silva, Bruno Gama, Dircey Leita e Pícolo. No coro: LG, Karla Prieto, Fabiano dos Anjos, Netti Bomfim e Renatinho Boka Loka.

Destaques

 
Topo